Uma mãe profundamente agradecida

por | out 18, 2016

 

Mais um ano que se vai. Mas este não é um ano qualquer. É o ano em que meu filho Matheus, se forma no ensino médio. Provavelmente você que está lendo este texto, se perguntará: “mas por que razão essa importância toda, já que se trata de um fato corriqueiro e frequente na vida dos adolescentes”? Concordo. Em parte. Em parte porque cada um sabe da sua história pessoal. E a história de seu filho. O Matheus passou por uma experiência nada boa, em uma escola anterior. Sofreu o que, não de hoje, é bastante discutido na mídia, na sociedade, nas escolas. O traumatizante bulling. Sim. Ele foi vítima, por parte de um adolescente desajustado, deste terrível mal. Lamentavelmente lhe causou, na época, um dano profundo. Doloroso. Sério. Em todos nós da família. Tão sério, que foi preciso tratamento e acompanhamento por nada menos que um ano e meio!! Não entrarei em detalhes do que lhe foi feito, que “tipo” de bulling, pois, o próprio nome já diz tudo. Não importa como ele tenha sido praticado. Isso não diminui a sua covardia… Enfim subíamos, todos os meses, para consulta médica em São Paulo, graças a Deus, com uma especialista neste assunto. Sua dedicação e carinho, mais os medicamentos, foram, por fim, colocando um ponto final neste capítulo da vida do meu filho. E de nós, pais. Porém, a cura não teria sido possível como dito por sua médica, se eu não tivesse encontrado a melhor escola que se poderia encontrar, para uma criança que havia passado pelo que ele passou. Por esta razão, venho, com todo meu coração, agradecer imensamente à Cooperativa Educacional de Ubatuba. A escola que, ao me receber na pessoa de sua coordenadora, Carolina (Carol) e sua diretora na época, Ângela, me fizeram sentir que eu poderia definitivamente ficar em paz. Além do profissionalismo, houve compaixão por parte delas, após ouvir e ver os documentos que provavam toda a história vivida por nós.  Finalmente eu pararia de chorar a partir daquele momento (como vinha fazendo desde o ocorrido, todas as noites, sem que ele soubesse, claro). O meu pequeno Matheus estaria em muito boas mãos. A Cooperativa não se apresentou à mim, apenas como uma escola. Mas sim, como uma família que estava fortemente empenhada a devolver ao meu filho, a autoestima, a autoconfiança, a alegria, como também, a fazê-lo perder o medo do desconhecido e a fobia social. Todos desencadeados pelo covarde bulling. Portanto, obrigada a Carol, Obrigada a Ângela (diretora na época), Obrigada a Lígia (diretora atual), obrigada a todos os Professores, obrigada a Elisandra, obrigada Sumaya, obrigada ao Jarder, obrigada a Dona Lurdes, ao Sr. Júlio. Obrigada a toda equipe da Cooperativa Educacional de Ubatuba, incluindo claro, nomes que não tenham sido citados.  Saliento, também, a importância crucial dos amigos que ele fez durante esses 4 anos na escola. Sem esses amigos ali, lado a lado, dia a dia, encorajando-o, apoiando-o, teria sido, digamos, um pouco mais lento o processo. Assim sendo, obrigada a Lucas Gallo e família, obrigada ao Farid Nassar e família, a Matheus Siqueira e família, obrigada a Enrico e família. Obrigada a todos os amigos do meu filho (Graças a Deus são vários!!). Agradeço, ainda, a Berenice Gomes, por todas as oportunidades dadas ao Matheus, as quais sem dúvida alguma, ajudaram-no a se tornar  um menino vaidoso, seguro de si e cheio de planos futuros. Muito obrigada, Berenice. Muito obrigada, Hugo Gallo. Senhores pais, que nossos filhos sigam felizes pelos caminhos que venham a trilhar. Que nunca se esqueçam desta época maravilhosa da vida deles, onde a importância e seriedade dos estudos, também davam lugar à zoeira alegre e descontraída.  Obrigada por terem trazido o meu pequeno (agora não mais tão pequeno rsrsrs) Matheus de volta à alegria!!

Um excelente 2017 a todos nós!!!